ACONTECEU

Da toca para a mata

O grupo Armazém Aéreo presenteou o público da capital cabo-verdiana com um show raro de plasticidade e de homenagem à natureza, neste caso a brasileira.

Num espetáculo de cortar o fôlego, o grupo apresentou a história de jovens urbanos, presos na sua toca que, não sem esforço, ganham coragem para ir ao encontro da natureza e praticamente ganham asas para voar.

A libertação é simbolizada em vários movimentos de malabarismos e em imagens da natureza que às vezes se fundem com as imagens dos malabaristas/bailarinos. Tudo isto envolvido por uma sonoplastia que convida a um encontro com as coisas simples da vida, muitas delas ameaçadas de extinção.

O espetáculo, denominado Saindo da Toca, traduziu-se, igualmente, numa homenagem ao índio brasileiro, já que grande parte da trilha sonora baseia-se na musicalidade indígena. A soma de todos esses elementos resultou numa apresentação que encantou o público presente, a tal ponto que, tendo sido realizado no dia 24, foi necessária uma reedição da apresentação no dia seguinte.

A presença desses personagens do novo circo que se faz pelo mundo, e muito bem explicado na proposta estética do Armazém Aér(i)o, permitiu, ainda, um encontro, em jeito de oficina, entre os elementos do grupo e jovens cabo-verdianos que dão os primeiros passos na arte circense.